sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Espinhos do Amor - Capítulo 13



Apenas Amigos

          *Eu abri os olhos e vi uma luz muito forte ao meu redor. Quando finalmente pude ver o lugar a minha volta eu percebi que estava no colégio, o que é estranho, pois eu não me lembro de ter vindo aqui. Eu me levantei lentamente do gramado onde eu estava deitada e foi quando eu reparei que ainda estava de pijamas. “Eu não acredito que vim pro colégio de pijamas de novo!” Eu tentei chegar até a entrada para poder ir pra casa e me trocar, mas parecia que quanto mais eu andava, mais longe da saída eu ficava. Quando finalmente cheguei ao portão da entrada tinha alguém me esperando, era a Steicy e suas amiguinhas idiotas, “Olá queridinha”, ela disse. Eu tentei me desviar delas, mas elas fecharam o portão e começaram a vir na minha direção, nesse momento eu saí correndo, mas a cada corredor que eu virava havia um grupo de alunos me olhando com raiva nos olhos e começavam a me perseguir, até que eu cheguei ao pátio, mas havia um beco sem saída, foi quando todos os alunos do colégio se fecharam em um circulo a minha volta e começaram a tirar sarro de mim como coisas do tipo: “Mily, Mily! Você ainda continua a mesma idiota de sempre, eu não acredito que você pensou que alguém realmente iria gostar de alguém, e como se alguém fosse querer ser seu amigo.” E foi quando eu vi que quem dizia isso era ninguém menos que a Auria. O Felipe também estava ali, e foi ai que eu desabei. Eu fui traída até pelos meus melhores amigos?*

          – Mily, to entrando. – disse Auria entrando no meu quarto e pulando em cima de mim, me fazendo acordar num pulo.
          – KYAAAAAAA!!! AURIA!!! Isso é modo de entrar na casa dos outros? ¬.¬
          – Dos outros não, da minha melhor amiga sim. u.u
          – Me deixa dormir, Auria.
          – Nana nina não. Você prometeu que ia sair comigo hoje, lembra? Passar o dia juntas como sempre. *-*
          – Hoje eu não to a fim de sair, Auria. Volta na semana que vem.
          – O que você tem Mily?
          – Sono.
          – To falando serio, você não está no seu normal hoje.
          – Mas eu não sou normal, esqueceu?
          – Mily, me diz... ~ carinha de cachorrinho ~ O que está acontecendo? Diz pra eu.
          – Eu só tive um sonho ruim, é isso.
          – E como foi?
          – Eu não lembro...
          – Há, há, há! Mily, agora eu to falando serio, você está me deixando preocupada. Você decide, você vai me dizer ou será que eu vou ter que chamar o Felipe para te fazer falar?
          – NÃOOOOOOOOOOOOOOO!!!
          – Nossa! Porque não?
          – Er... Ele deve estar ocupado e alem disso eu já disse que eu não tenho nada.
          – Mily...
          – Ta bom, ta bom. Se isso vai fazer você me deixar em paz... O Felipe se declarou para mim. =/
          – Ah... Espera ai. Como assim ele se declarou?
          – É isso mesmo o que você ouviu.
          – Tipo, era óbvio que ela gosta de você, era isso ou ele era gay. E gay eu tenho certeza que ele não era. Mas como foi? E o que você disse? Me conta Mily.

          ~ Contando tudo ~ (Pra quem não sabe como foi favor ler o capítulo 12. Grata. >.< )

          – Mily! Eu não acredito que você fez isso. Como você pôde sair correndo depois que ele disse?
          – E o que você queria que eu fizesse?
          – Eu não sei, mas essa com certeza não foi a melhor coisa a fazer. Imagina você no lugar dele, como você iria se sentir? Ou melhor, como você acha que ele está se sentindo?
          – Valeu Auria. Eu nem estava me sentindo culpada mesmo. Valeu por me deixar pior do que eu estava.
          – Mas Mily, se você se sente culpada como você diz você deveria falar com o Felipe. Vocês são amigos, eu tenho certeza de que ele vai entender.

          Depois de pensar por algumas horas eu finalmente me decidi e fui falar com o Felipe, como eu sempre digo: “Uma grande amizade não pode acabar por uma simples bobagem.” E a Auria realmente tinha razão, ele me entendeu, mas mesmo dizendo que ia se contentar em ser apenas meu amigo ele disse que nunca iria desistir de mim. Garotos. -.- (Mas vamos admitir que isso foi muito fofo.)

          Algumas semanas se passaram e tudo voltou ao normal. A Auria e o Alejandro estão se dando super bem e a amizade entre o Felipe e eu está cada vez mais forte. Agora como representante de classe, eu estou sendo obrigada a ajudar a escola a organizar o baile da primavera (uma grande tradição da escola), mas até que dessa vez está sendo divertido. Ver este lugar ficando tão bonito e decorado acaba sendo muito animador. Só é uma pena eu nunca poder participar desses bailes, já que é obrigatório levar um acompanhante. Pelo menos esse ano a Auria vai poder vir e se divertir por nós duas.

          – Mily! Que bom que te encontrei, eu já estava indo embora. Posso falar com você por um instante? – disse Felipe chegando meio exausto.
          – Claro.
          – Eu ouvi que você não tem um par para o baile e como eu também não tenho, será que você aceitaria ir comigo?
          – Felipe...
          – Eu só acho injusto você trabalhar tanto por uma coisa que no fim não vai poder aproveitar. Então eu pensei, porque não? Vamos como amigos, afinal nós também merecemos nos divertir. E então? O que você me diz?
          – Só como amigos?
          – Sim, só amigos. (a não ser que você queira algo mais)
          – Então eu aceito. ^^

Se gostou comente e se não gostou comente também. XD (E faça uma garotinha feliz!!!)

4 comentários: