domingo, 15 de julho de 2012

Capítulo 3-



Capítulo 3-
-Insolente! –minha voz tremera com o dito de Leigh. Garoto precoce esse, com apenas 9 anos de idade, já beijara outra! –Mas são novos de mais para isso, não? –perguntara para Elizabeth, que soltou um talvez de olhar e cabeça. Já Leigh um sorriso malicioso, novamente. –Ora garoto! –aponto meu dedo indicador em seu rosto. –Você é muito malicioso! E de pensar que fosse um garoto sério! És muito novo, também! Não podes pensar nisso agora! Ora! –fiquei com meu rosto pegando fogo!
-Auria! Estás muito vermelha! –dizia Elizabeth preocupada, já levantando seu lencinho de bolso.
-Não se preocupe comigo! –minha pernas ficaram bambas, minha voz estava saindo gaga, tirei meu dedo da face de Leigh, e vi que estava trêmula. *Por que isso, agora?*
-Ora! (...)
-Mas eu quero mais! Eu quero mais! –vira uma voz que interrompeu a fala de Leigh, do corredor. Olhamos diretamente para a porta aberta.
-Dake, pare de comer! Você come de mais, garoto! Por isso estás gordinho assim ! –vira essa voz feminina do corredor. Continuamos a observar, de quem eram essas vozes? Acho que apenas eu não as reconhecera...
-Ah! Não fique me atormentando! Pedaço de osso sem carnes! –dizia uma voz masculina, que estava mais perto da sala onde estávamos.
-Entrem logo, vocês demoram de mais! E Dake, pare de comer tanto! Você já está muito gordo! –dizia uma voz muito firme.
Entrara ali na sala, indo em direção à Elizabeth, e deparando-se com Leigh. Quem para eles também era uma surpresa.
-Leigh, o que estás fazendo aqui? –perguntara uma garota de cabelos longos e brancos.
-Senhorita Slyowa! Quanto tempo! –dizia com sua face de malícia novamente. Ele parecia ser mais responsável, mas tem os instintos a flor da pele.
-Não me atormente, trapo! –disse a garota mexendo seus cabelos. *Huh, que coisa estranha.*
Já que ninguém percebera minha presença ali, estava saindo de mansinho. Olhei para trás, e nada.
-Auria! –olhei para trás, era Elizabeth, *Lembrara de mim!* com a mão estendida, esperando que eu a segurasse. –Esta é a nossa novata! –chegara mais perto de Elizabeth, ela simplesmente colocou-me em sua frente, com suas mãos em meu ombro. Curvei-me à eles com delicadeza.
-Não se deixem levar! –disse Leigh. –Ela não é um amor de pessoa, apenas aparenta ser! –soltara um sorriso e Elizabeth caíra na risada.
-Não diga isso, Leigh! –colocou uma mão em minha cabeça.
Curvaram-se a mim, um garoto gordinho louro, de olhos verdes, uma garota de olhos vermelhos e cabelos brancos como neve e por fim mas não menos importante, uma garota de castanhos olhos e cabelos.
-Tudo bem! Mas eu tenho de ir! –comecei a trotar e bufar, quando passara da porta.
-Apressada! –gritara de dentro da sala, Elizabeth.
Tivera de encontrar logo, uma recepção, ou sei lá o que! Uma informação de como saíra desse lugar! Isso é um labirinto.
 Havia um corredor largo, que havia um tapete vermelho, logo a frente avistara uma grande porta. Abri-a.
-Saída!! –encontrara um grande salão, com uma porta de entrada magnífica e grandiosa. Mas não houvera ninguém ali. –Ora ! Que coisa mais desorganizada! –olhara para os lados, não tivera mesmo ninguém. Apenas um velho senhor, que provavelmente não sabe nem onde fica o próprio nariz. Não irei perguntar a ele. Não mesmo! Vou continuar sozinha! Fui para fora, ali alguma coisa tinha de haver.
Andei e avistei umas pétalas de flores no chão. Tal que faziam um caminho, que parecia ser traçado à mão. *Aonde será que leva isso?* Continuara a andar, haviam muitas pétalas, caminhara, caminhara e nada de acabar. Um sorriso em minha face nascera com aquela humilde brincadeira, muito criativa. Uma estrada de pétalas de rosas.
-Rosas brancas. –andara mais a frente. –Rosas vermelhas. –andara mais. –Rosas rosa. –andara mais, não percebi, mas estava apenas olhando para o chão. –Rosas amarelas. –andara. –Girassol? –andara mais, e esbarro-me com um garoto. Que parecera que era quem jogava as pétalas no chão. Caímos no chão.
-Ora! Desculpe-me donzela! –levantara rapidamente e estendia sua mão para me ajudar. –A senhorita está bem?
-Ai! –levanto-me sozinha, o garoto abaixa-se para olhar se estou bem. –Estou bem !! Não precisas conferir! –olho para seu rosto, e vejo que ele é bem mais velho que eu! Cabelos e olhos verdes. Muito belo.
-Sinto muito! –olhava à um ponto qualquer. –Eu não a vi!
-Percebe-se! –passo a mão em meu vestido limpando-o.
-Estás perdida? –olha para mim. –Agora, se não me engano. É horário de aula, não?
-Não sei! –dou de ombros.
-Meu nome é Jade, princesa! –dizia ele curvando-se a mim.
-Princesa? –sussurro valente. –Como ousas falar isso alto? Levante-se!!
-Ora! Ninguém sabe? –levanta-se e estende a mão. –Logo ainda com esta tua tiara? Ela tem até mesmo o bordão de teu avô, presumo!
-Não digas a ninguém! –sussurro com meu punho fechado apontado para seu rosto.
-Não digas a ninguém o quê, querido? –dizia uma voz muito serena e rouca, que vira detrás do garoto. Tirei rapidamente minha tiara da cabeça.
-Nada, mamãe! –virara-se para trás. E ela fora a frente.
-Ora que nobre criatura temos aqui? –dizia estendendo sua mão, com uma flor.
-Deixe-me colocar isso em você! –Jade dizia pegando a flor da mão de sua mãe, e colocando-a eu meu cabelo. –É melhor não colocar sua tiara novamente, se não quer ser descoberta. –sussurrou em meu ouvido, quando posta a flor em meu cabelo.
-Obrigada! –sussurro. –Obrigada, senhora! –curvo-me a senhora de verdes olhos e cabelos. Levanto-me.
-Estou perdida. –deixou escapar, e rapidamente tapo minha boca com as duas mãos. Jade rira.
-Como eu esperava. –colocara sua mão em meu ombro. –Eu não estudo na escola, mas a conheço na palma de minha mão. Tenho uma memória boa, como percebestes! –dizia enquanto andávamos. Nem tivera percebido a presença de um belíssimo lago a minha frente. Com um belíssimo campo de flores, muita grama e árvores. –Você... Por que saíras da escola, inicialmente? –perguntara enquanto parava.
-E-eu... Ah... Eu... Não sei!!! Eu estou perdida, desde quando o garoto louro tentou me agarrar, o garoto moreno quase me matou do coração com um susto, mas que foi compensado com o belíssimo som que Elizabeth tocara. –dizia meu discurso de mãos juntas ao meu busto.
-Já vi que gostas de conversar! –rira.
-É que antigamente, não falava muito! –sorri para ele. Senti confiança naquele garoto, o olhar dele me trazia um pouco de paz. *Garoto alto*
-Inimaginável, majestade! –rira novamente.
-Não converso tanto assim, Jade! Posso chamar-lhe pelo seu nome diretamente?
-Sim, claro! –sorrira. –Mas, vamos ao que interessa! A senhorita não pode perder aula logo no seu primeiro dia! –apontara sua mão para os céus. *O que ele está fazendo?!*
-Inicialmente, não me chame de senhorita! Nem tenho idade para chamarem-me assim, tenho apenas 9 anos de idade. E não uma eternidade de responsabilidades nas mãos, ou velhice nas costas! –disse já ficando vermelha.
-Sim, você gosta mesmo de falar. –rira e eu o cutuco, com o intuito que ele parasse de rir. Não adiantara.
-Jade!!! –balanço minha cabeça a procura da voz feminina. *Onde está? Onde está?*
-Senhorita Beatriz? –dizia ele com um olhar fixo, tal que eu não conseguia avistar a garota.
*Onde está? Onde está?* Continuava a procurar com meu olhar concentrado.
-Quem é você? –abaixo a cabeça e vejo uma pequena garota logo a frente sentada no chão.
-Oh! –curvo-me. –Sou Auria! –levanto-me. –Prazer, senhorita!
-O Prazer é todo meu! Sou Beatriz, filha da duquesa de Alavarthe , mas moro com minha avó! –a garota levanta-se e curva-se. –Sinto, mas eu preciso da ajuda de Jade! –desvia o olhar que estava a mim, e olha para Jade.
-Ah! Oh! Claro! –fico um pouco confusa com a situação.
-Ora, Beatriz, pois não? –abaixa-se para ajuda-la.
Ando de costas para afastar-me dali, viro-me quando vejo que já não perceberam minha ausência. Me deparo com a mãe de Jade parada a minha frente.
-Vê? –estende a mão para Jade e Beatriz. Viro-me.
-Sim! –olho para ela e fixo aos dois. –Mas exatamente, o quê?
-Podem crescer e se apaixonar. Mas será um amor proibido! –dizia com uma voz tristonha.
-Mas por que?
-Ora! Ele é plebeu, já ela é uma descendente de grande renome da nobreza de nosso país! –olho para ela e sua face parecia muito pálida e decepcionada.
-É uma pena ainda termos esse pobre pensamento, de que aqueles quem não têm nome, não podem se casar com os que têm. –digo olhando fixamente para ela.
-Um dia quem sabe... –olha para mim e coloca sua mão em meu queixo levemente. –Majestade, poderás mudar este conceito! 

26 comentários:

  1. *u*
    Esses amores proibidos que me enlouquecem....
    Me deixou curiosa...
    Essa Auria-chan super arrogante eu não conheço.... Você era assim quando pequena?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAhahahhahhahahhahahhahahahha
      Diferente da Auria, eu era mais mimada. Mas como ela viveu praticamente sozinha a maior parte do tempo, ela é um pouco arrogante e fria! Mas quem sabe ela mude né?
      Ela está se abrindo, até conversando ela está ! *o*
      HAhahahhahahhahahahhaha
      Curiosidaaaaaaaade *ooooooo*
      Obrigada por ler *o*

      Excluir
  2. Nooossa muito lindo ameei *---* espero que continue logo ;)

    ResponderExcluir
  3. owÕ me gusta XD fiquei até em dúvida: Jade ou Leigh XD mas serei fiel ao meu rebelde e precoce garotinho arteiro e sarcástico, lindo e magavilhoso *u* que ondo crescer, vai casar comigo, uma plebeia ~~le pensamentos XD~~

    mas voltando à fic. Realmente está boa :D empolgante, e deixa com ar de curiosidade :D parabéns minha linda auria, Tia Hoshi tem orgulho da escritora *O*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yooooooooooooooouppp *o*
      Obrigada sua lindra *o*
      Ount
      Hahahahhahhahahhahahhahaha vaai é? xDDD hahahahhaha

      Excluir
  4. Lindo.Sabes mesmo fazer uma fics emocionante.

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. HAhahahahahhahahah
      Né lindo *o*
      Ount *o*

      Excluir
  6. Ta muy bueno ‘‘senhorita qur gosta de me deixar curiosa no msn‘‘ XD
    Quero ver o 4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. xDDDDDDDDDDDD
      Tem que ser uai !
      hahahahhahahhahahhaa
      *o*
      Obrigada bicha doida *o*

      Excluir
  7. Prontinho,aqui está um comentário da Dona Preguiça,por mandamento da Princesa Real Auria-senpai!Tá uma fic linda e maravilhosa!Manda logo o ep.4!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ount *o*
      hahahahhahahahhahahahah
      Obrigada por comentar sua linda *o*
      Obrigada *o*

      Excluir
  8. Oh meu Leigh *--*
    você sabe que to adorando né flor?
    adoro romances proibidos
    é algo tão romeu e julieta <3
    continua tá?! porque ta lindo *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *O*
      Ount *O*
      Obrigada !! *o*
      Muito obrigada !!
      Num é fofo ? *o*

      Excluir
  9. Você escreve muito bem. @u@
    Auria é muito fofa, mesmo sendo arrogante . nhá .
    continua, please *3*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahhahahhahahahhaha
      Obrigada lindra *o*
      Ount *o*

      Excluir
  10. A Bicha louca da Louise me falou sobre um certo lugar com fic's do A.D, fiquei curiosa e achei u.u
    Poxa eu li apenas enquanto os vídeos carregavam.
    -Vossa Majestade, se permitir tal conselho ousado de minha parte, deverias escrever mais, ainda mais com vosso talento u.u
    -EMKloster (o tédio me fez migrar até aqui para a infelicidade geral de todos e.e).

    ResponderExcluir
  11. Oh *o*
    Ed-chan *o*
    Obrigada bicha *o*
    Muitíssimo obrigada *o*

    ResponderExcluir
  12. Ameeii!! ^^ (Desculpe a demora para comentar)
    Quero a continuação viu?
    Beijos! :D

    ResponderExcluir
  13. Awwwmt *----*
    A Auria é tão diva <3
    A Bea esta tão cute <3
    O Jade esta tão fofo <3
    (Não sou bom de comentar -q)
    Enfim! Esta muuuito cuuuuteeee *00000*
    Continue desse jeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *o*
      Ount, finalmente xD
      Obrigada *o*
      Obrigada *o*

      Excluir