sexta-feira, 20 de julho de 2012

Espinhos do Amor - Capítulo 9

Revelações


     – Quem é você?
     – Ninguém.
     – foi você quem me mandou os bilhetes?
     (...)
     – Responde! Foi você não foi?
     – Foi sim. Me desculpe, eu não deveria ter me intrometido na sua vida.
     – Eu tenho é que te agradecer você me ajudou a abrir os olhos.
     – Por causa da minha ‘ajuda’ você está chorando agora.
     – Eu não estou chorando por sua causa e sim por causa daquele... Como você sabe que eu estou chorando?
     – Eu percebi pela sua voz, além disso, eu estou te vendo.
     – Hahaha! Me vendo como se não tem ninguém por perto? A não ser que você seja um fantasma, o que eu duvido muito... Agora me diz, quem é você?
     Ele desliga.

     Fui correndo para a casa da Auria, queria contar pra ela sobre esse telefonema misterioso. Depois de algumas horas jogando conversa fora, decidi voltar para casa, afinal eu tinha muita coisa na cabeça que precisava organizar.
     Quando cheguei em casa vi que meu pai estava com uma amiga (novidade), esses dias eu nem ligo mais pra isso, desde que eu finja que eles não estão aqui. Subi para o meu quarto, me tranquei e coloquei uma música no volume máximo para tentar me concentrar só na música e não pensar em mais nada.
     – Eu não vou derramar mais nenhuma lágrima por causa daquele idiota, nunca mais, eu juro! Ele não as merece.

     – Mily! Abaixa o som desse rádio que você vai acabar ficando surda e vem jantar antes que a comida esfrie.  disse meu pai batendo na porta.
     – Já estou indo!

     Lavei as mãos e desci pra comer, mas quando eu chego lá quem eu encontro? Isso mesmo, a “amiguinha” do meu pai. Será que ele já se esqueceu do que aconteceu na ultima vez?
   
     – Mily, você não vai se sentar?
     – Quem é ela?
     – Essa é a Michelle, ela já esteve em casa algumas vezes, nós... Estamos namorando. – não, ele não disse isso. Mily acorda agora desse pesadelo! – Mily, você está bem?
     – Não pai, eu não estou bem! Como você pôde trazer essa mulher aqui em casa e apresentá-la como sua namorada? Como você faz isso comigo? Pior, como você pôde fazer isso com a mamãe?
     – Não fale da sua mãe assim, ela não tem nada a ver com isso.
     – Mas parece que tem. Você pensa que eu nunca percebi? Você nunca soube lidar com a morte dela, por isso começou a beber e a sair com a primeira vadia que aparece. Isso não vai trazê-la de volta. Ela nunca vai voltar. Nunca! – depois de falar isso sai batendo a porta atrás de mim.
     – Mily volta aqui agora mesmo!
     – Deixa ela Roby, ela só precisa se adaptar a essa situação, logo ela vai entender.  disse Michelle impedindo meu pai de sair correndo atrás de mim.
   
     Fui pra casa da Auria, afinal ela já estava acostumada comigo batendo na porta dela há essas horas.

     – A Auria não está em casa agora, mas eu aviso ela que você esteve aqui.  disse Juliana, mãe da Auria.
     – Obrigada tia Ju, fala pra ela me ligar. Tchau!

     “O que eu vou fazer agora? Não posso voltar pra casa enquanto aquela mulherzinha estiver lá.”

     Fui pra casa abandonada, não acredito em fantasmas e se realmente tiver fantasmas lá vai ser bem melhor do que voltar pra casa.

     Depois de alguns minutos recebi um SMS, vai ver a Auria já voltou pra casa. Mas quando fui ver não era ela.

                 “Ei pequena, já viu como o céu está lindo? Sabia que todas aquelas estrelas brilhando estão sorrindo para você esperando você sorrir de volta? Mas você está triste e vai acabar entristecendo as estrelas. Faz um favor pra mim? Sorria pra elas e você vai ver como elas vão brilhar com mais intensidade.”
                                                   Um amigo


                 “Eu posso até sorrir, mas com uma condição: você vai ter que me dizer quem você é.”
                                                      Mily


                 “Se isso valer um sorriso seu....”
                                                   Um amigo


     – Olhe pra trás.
     – Você?

4 comentários: